Texto Original



DECRETO Nº 48.448, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2019.

 

(Vide errata no final do texto)

 

Introduz alterações no Decreto nº 27.772, de 30 de março de 2005, que dispõe sobre a sistemática de parcelamento de débitos do ICMS, relativamente a débito tributário decorrente de operações ou prestações interestaduais que destinem mercadoria ou serviço a consumidor final não contribuinte do imposto.

 

O GOVERNADOR DO ESTADO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo inciso IV do art. 37 da Constituição do Estado,

 

DECRETA:

 

Art. 1º O Decreto nº 27.772, de 30 de março de 2005, passa a vigorar com as seguintes modificações:

 

“Art. 1º .............................................................................................................

 

§ 1° O disposto no caput não se aplica a débito tributário:

 

I - constituído ou não:

..........................................................................................................................

 

c) nos períodos de 1º de setembro a 30 de novembro de 2018, de 1º a 14 de maio de 2019 e a partir de 1º de janeiro de 2021, quando decorrente de operações ou prestações interestaduais que destinem mercadoria ou serviço a consumidor final não contribuinte do ICMS, localizado neste Estado; (NR)

..........................................................................................................................

 

§ 7º No período de 15 de maio de 2019 a 31 de dezembro de 2020, não se aplica o impedimento previsto no item 1 da alínea “b” do inciso II do § 1º, relativamente à Regularização de Débito decorrente de operações ou prestações interestaduais que destinem mercadoria ou serviço a consumidor final não contribuinte do ICMS, localizado neste Estado. (NR)

..........................................................................................................................

 

Art. 8º O débito tributário do ICMS poderá ser parcelado, observando-se o seguinte:

..........................................................................................................................

 

VI - relativamente ao número máximo de parcelas mensais:

.........................................................................................................................

 

e) quando se tratar de débito decorrente de operações ou prestações interestaduais que destinem mercadoria ou serviço a consumidor final não contribuinte do ICMS, localizado neste Estado:

..........................................................................................................................

 

2. no período de 15 de maio a 31 de dezembro 2020, variará até 10 (dez); (NR)

........................................................................................................................”.

 

Art. 2º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

 

Palácio do Campo das Princesas, Recife, 23 de dezembro do ano de 2019, 203º da Revolução Republicana Constitucionalista e 198º da Independência do Brasil.

 

PAULO HENRIQUE SARAIVA CÂMARA

Governador do Estado

 

DÉCIO JOSÉ PADILHA DA CRUZ

JOSÉ FRANCISCO DE MELO CAVALCANTI NETO

ERNANI VARJAL MEDICIS PINTO

 

ERRATA

(Publicada no Diário Oficial de 22 de fevereiro de 2020, pág. 4, coluna 1.)

 

No Decreto nº 48.448, de 23 de dezembro de 2019, que introduz alterações no Decreto nº 27.772, de 30 de março de 2005, que dispõe sobre a sistemática de parcelamento de débitos do ICMS:

 

ONDE SE LÊ:

 

“Art. 8º .....................................................................................................

..................................................................................................................

 

VI - ..........................................................................................................

 

e) ..............................................................................................................

..................................................................................................................

 

2. no período de 15 de maio a 31 de dezembro 2020, variará até 10 (dez); (NR)

................................................................................................................”.

 

LEIA-SE:

 

“Art. 8º .....................................................................................................

...................................................................................................................

 

VI - ..........................................................................................................

 

e) ..............................................................................................................

..................................................................................................................

 

2. no período de 15 de maio de 2019 a 31 de dezembro 2020, variará até 10 (dez); (NR)

................................................................................................................”.

 

Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial do Estado.